Archive for November, 2007

h1

1º SALÃO ILUSTRARTE DO LIVRO INFANTIL DO BARREIRO

November 29, 2007

Advertisements
h1

1º SALÃO ILUSTRARTE DO LIVRO INFANTIL DO BARREIRO

November 29, 2007

8 a 11 de Dezembro de 2007

Auditório Municipal Augusto Cabrita Barreiro

O 1º Salão Ilustrarte do Livro Infantil do Barreiro decorrerá de 8 a 11 de Dezembro de 2007, no AMAC – Auditório Municipal Augusto Cabrita no Barreiro.

O Salão nasce ao fim de 4 anos de programação ininterrupta de exposições de ilustração para a infância e em plena 3ª edição da Bienal Internacional de Ilustração para a Infância, ILUSTRARTE 2007.

Apadrinhado pelo Salon du Livre et de la Presse Jeunesse de Montreuil, pretende-se que este evento venha a ser um espaço de divulgação e promoção do livro infantil ilustrado, um ponto de encontro entre autores, ilustradores, editores e o público, infantil e não só.

Serão 4 dias de intensa actividade em torno do livro infantil ilustrado. Nos stands de cada editora estarão presentes os melhores escritores e ilustradores nacionais, com dia e hora marcada, dispostos a autografar, desenhar e personalizar os seus livros.

Também com dia e hora marcada, terão lugar lançamentos de novos livros. Durante o lançamento serão expostos os originais das ilustrações.

Importa ainda referir que durante o Salão estão patentes no AMAC a exposição ILUSTRARTE 2007 e uma exposição dos projectos de ilustração de alunos finalistas do ARCO.

O Salão será amplamente divulgado junto da comunidade educativa do Barreiro e de toda a área Metropolitana de Lisboa. Em particular, as escolas do ensino pré-escolar e 1º ciclo do ensino básico receberão atempadamente o programa do Salão e poderão inscrever-se em grupo para as actividades paralelas que estão previstas (sessões de narração de contos; animações teatrais de livros; ateliês de ilustração; sessões de cinema de animação; sorteios de livros.).

Juntamente com o folheto informativo, serão distribuídos vales de desconto na compra de livros no Salão.

Cada turma que visite o Salão com o respectivo professor, receberá um livro oferecido, que será autografado na presença de todos e que irá para a biblioteca escolar.

Para mais informações:

212 141 319
ilustrarte@ilustrarte.net
h1

Ilustrarte 2007 – seleccionados

November 27, 2007
Para quem não conhece ainda as imagens dos restantes 50 ilustradores seleccionados da Ilustrarte 2007, fica aqui uma amostra.
Não deixem de aproveitar de comprar o catálogo que está à venda no AMAC (Auditório Municipal Augusto Cabrita), por apenas 10 €.
A exposição de originais estará patente no AMAC até 31 de Janeiro.
Contactos: 21 214 13 19 / ilustrarte@ilustrarte.net
Ilustradores Seleccionados
NOME / Nacionalidade
Pablo Amargo (Espanhola)

Laura Barella (Italiana)

Aljoscha Blau (Russa)

Zsuzsanna Borogdai (Húngara)

Jean Luc Buquet (Francesa)
Gabriela Cichowska (Polaca)

Carll Cneut (Belga)
Sonja Danowski (Alemã)

Gerda Dendooven (Belga)

Inga Dorofeeva (Alemã)

Diego Fermín (Espanhola)

Ingrid Godon (Belga)

Anne Herbauts (Belga)

Svjetlan Junakovic (Croata)

Ann Kestens (Belga)

Artem Kostyukevich (Russa)

Jan Laackmann (Alemã)

Grażyna Lange (Polaca)

Nagy László (Húngara)

Aude Leonard (Francesa)

Teresa Lima (Portuguesa)

Gémeo Luís (Portuguesa)

Sylvain Merot (Francesa)

Narges Mohammadi (Iraniana)

Sergio Mora (Espanhola)
Diana Nagy (Húngara)

Lisa Nanni (Italiana)

Roger Olmos (Espanhola)

Emre Orhun (Turca)

Gabriel Pacheco (Mexicana)

Yeon-cheol Park (Coreana)
Isabel Pin (Francesa)
Anamaria Popovici (Romena)

Pierre Pratt (Canadiana)

Maurizio Quarello (Italiana)

Vladimir Radunsky (Americana)

Julie Rener (Belga)
Glenda Surelin (Italiana)

Thomas Schiese (Alemã)

Lúcia Sforza (Italiana)
Jochen Stuhrmann (Alemã)
Carmen Uurquia (Espanhola)

Valério Vidali (Italiana)
Fernando Vilela (Brasileira)
Miriam Zadil (Alemã)

Morteza Zahedi (Iraniana)
h1

A NINFA DO ATLÂNTICO

November 25, 2007
História da cidade de Lisboa
autora Maria José Meireles
ilustradora Evelina Oliveira

APRESENTAÇÃO DO LIVRO EM LISBOA
29 NOVEMBRO (5.ª Feira) – 18h30 na
GALERIA DE ARTESÃO MAMEDE (Rua Escola Politécnica, 167)
Os originais das ilustrações do livro estarão em exposição
“A mais bela Ninfa é filha da deusa dos Rios e do deus Oceano, o grande Rio que circunda a Terra. De seu pai recebeu o divino presente de viver nas águas sagradas do Rio Tejo.E começa a história de um grande amor… Tão intenso que as outras belas ninfas, carinhosamente, lhe diziam:– Tem cuidado, não te apaixones demasiado.– Mas quem consegue controlar o coração?– Tu consegues, não és uma ninfa vulgar, és filha do grande Oceano! Uma Oceânide.E ela, sem entender bem estas palavras, olhava as outras belas ninfas, envoltas em finas sedas prateadas… E eternamente enamorada também ondeava, ondeava em sedosas águas…”
Maria José Meireles é licenciada em História.Exerceu durante longos anos uma intensa actividade pedagógica.Foi co-fundadora da Cooperativa de Ensino Artístico Árvore, em Guimarães.Publicou na Campo das Letras: “Voar em Guimarães” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura), “A Lenda do Galo de Barcelos” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura), “A Lenda do Rio Ave“, “Braga – Era uma vez uma cidade“, “O Porto e o Segredo do Infante” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura), “Lendas de Mouras Encantadas” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura), “O Cavaleiro do Arco-íris – Terras de Basto“, “Gonçalo Mendes da Maia, o Lidador“, “Santo Tirso – No Murmurar das Águas… Terras de S. Rosendo” e “A Ninfa do Atlântico – História da Cidade de Lisboa”.
Evelina Oliveira nasceu em Abrantes, em 1961.Frequentou o curso de Desenho na ESAP, o curso de História da Arte no Museu Soares dos Reis e o curso de Litografia da Árvore.Ilustrou vários livros infantis e participou em numerosas exposições tanto em Portugal como no estrangeiro.Na Campo das Letras ilustrou “O Catitinha“; “Cerejas aos Molhos“; “Não Posso Comer Sem Limão” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura); “A Ninfa do Atlântico – História da Cidade de Lisboa”; “O Pescador de Palavras e A Pista de Tartan“; “Rebeldino e os Polícias Engolidos pela Gravidez da Terra“; “O Tesouro” (recomendado pelo Plano Nacional de Leitura); “Zé do Saco, o Contrabandista“; “Zeca Afonso – O Andarilho da Voz de Ouro“.
h1

COLECTIVA DE ILUSTRAÇÃO FBAUP_JARDIM ILUSTRADO

November 23, 2007

(coordenação Júlio Dolbeth)

inauguração: 6ªfeira, 23.11.07, às 21h30
Espaço Servartes
23 Nov’07 a 25 Jan’08

Ana Luísa Candeias
Ana Simões
Apolinário Pereira
Carla Manuela Martins
Catarina Correia
Dayana Lucas
Dário Cannatà
David Amarante
Délia Silva
Gabriela Sotto Mayor
Gémeo Luís
Inês Ferreira
Joana Mendes
João Araújo
José Cardoso
Júlio Dolbeth
Luciano Macedo
Maria Sobral
Manuela São Simão
Maria João Carvalho
Raquel Rei
Ricardo Abreu
Rui Sousa
Rui Vitorino Santos
Sara Andrade
Teresa Abrunhosa
Violeta Moura

Jardim ilustrado assume-se como uma exposição de Ilustração, uma área efervescente na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. A Ilustração é um território ambíguo de comunicação visual, situado algures entre a prática das Artes Plásticas e do Design, com o pressuposto de criação de imagens pictóricas que, para além de sintetizar, acompanhar ou explicar informação, também constroem um universo pessoal intricado no imaginário pessoal de cada autor.

A Ilustração tem ocorrências nas mais diversas áreas de expressão, passando pelo rigor científico da Ilustração de Pedro Salgado, um compromisso entre o desenho e a biologia, a representação do quotidiano de Norman Rockwell ou a ilustração satírica de Abel Manta, entre muitos outros exemplos.

Na FBAUP, a Ilustração é uma área de estudo da licenciatura de Design de Comunicação, no entanto a exposição tem como intuito abarcar vários autores provenientes da comunidade escolar, das diferentes áreas de acção da FBAUP, independentemente da licenciatura, procurando um discurso visual aglutinador para uma possível abordagem das narrativas da Ilustração.

A crescente qualidade dos trabalhos de Ilustração na FBAUP, é fruto do interesse de alguns docentes e discentes, que, ao longo dos anos, desenvolveram o seu estudo e prática, como poderá testemunhar uma possível história da Ilustração portuguesa.

O “jardim ilustrado” surge como uma necessidade de tornar visível um universo com uma gramática comum, mas com um imaginário íntimo e pessoal para cada, levando-nos a pensar esta área como um discurso em ebulição e com um alargamento de territórios.

A exposição privilegia uma Ilustração de autor, onde o texto ou a encomenda é delegado para um segundo plano. Aqui, as imagens são narrativas, usando como agregador comum uma ideia que encontra no Jardim um espaço de reflexão.

O jardim como tema proposto, partiu da ligação do edifício – escola (FBAUP) à cidade, numa visão naturalista de enquadrar a Faculdade num elemento natural.
O jardim como embaixador de inspiração ao longo dos mais de duzentos anos de escola. No entanto, o Jardim figurativo, o da Faculdade ou o jardim público de S. Lázaro, não são mais do que possíveis ideias para a construção das imagens. Interessa-nos o Jardim como espaço simbólico, um espaço entre o público (aquilo que transparece nas imagens) e o privado (o universo simbólico de cada autor).

O jardim como a plataforma de experimentação para uma expressão de autor, uma reflexão sobre o universo íntimo e metafórico de cada ilustração.

O jardim como espaço habitável, que interage, um local agregador de diferentes realidades para a construção de uma identidade local.

Júlio Dolbeth
(Professor Assistente no Departamento de Design FBAUP)

Localização:

h1

Lançamento do livro "A Colecção", de Margarida Botelho

November 23, 2007

h1

PATHS – colectiva de ilustração

November 17, 2007

PATHS _ caminhos para
Ana Rita Ferreira
Carlos Baptista
Diana Gomes
João Pádua
Luísa Oliveira
Luís Barbosa
Manuela São Simão
Marta Borges
Marta Oliveira
Paulo Hernâni

Colectiva de Ilustração
Livraria Ìndex
17 de Novembro a 31 de Dezembro 2007

Rua D.Manuel II nº 320, Porto
(frente à Biblioteca Municipal Almeida Garret)

PATHS são territórios por mapear, são caminhos imaginários, percursos do corpo e da mente, limitações por ultrapassar, limites e fronteiras por derrubar.

PATHS são perguntas e possíveis respostas. Ao mesmo tempo perguntas sem resposta: pretende-se deixar em aberto interpretações exteriores à intenção, àquilo que, de certa forma, motivou a produção destas “respostas visuais”.

PATHS é uma mostra colectiva numa livraria. Poder-se-ía ilustrar os livros aqui expostos ou, até, reflectir sobre alguns deles. No entanto, cada um preferiu reunir a sua compilação de vivências e experiências únicas, ilustrando o seu caminho interior, um caminho para casa, um percurso conturbado,ou um shortcut sintetizado numa fotografia a preto e branco; uma folha em branco arrancada de um caderno diário, de um diário de viagem; uma caixa cheia de histórias ou estórias, uma estante de livros com objectos inesperados; uma imagem, um gesto, um perfil, uma silhueta ou um still arrancado de um movimento, de um conjunto de emoções.
Caminhos no espaço e no tempo, no corpo e na mente, que saem para fora mas inevitavelmente, partem de dentro de cada um e encontram nesta mostra, não um fim, mas antes uma paragem comum.

PATHS são caminhos individuais, de pessoas com condutas, responsáveis cada uma delas pelas suas acções. Estamos em sociedade e existem caminhos e percursos que por vezes se nos opõem e impedem de seguirmos aquele por que optámos inicialmente.

Enquanto parte de um grupo temos intenções e linguagens diferentes, mas a nossa procura está em conseguir manter a diferença, a singularidade de cada um, sem que essa se oponha ao discurso do próximo e de todos enquanto grupo. O que manifestamos aqui é diferente do que fazemos individualmente. Tal como viver em sociedade, não se trata de uma UTOPIA, mas antes de um eterno desafio.

Manuela São Simão (Outubro,2007)